Lidar com a Perda do Emprego

No Centro de Autossuficiência SUD (LDS Jobs), vamos ajudá-lo a obter um trabalho remunerado por meio de aprendizado e das redes de contato com empresas locais.

Perder o emprego pode ser uma das ocasiões mais dolorosas e traumáticas que você enfrentará. Pode afetar todos os aspectos de sua vida, das relações interpessoais até mudanças no sono. Pode causar sentimentos de ira, inadequação, medo, vergonha, fracasso, isolamento e constrangimento, só para citar alguns. De fato, se você ficar desempregado por muito tempo, pode desenvolver uma depressão situacional.

“A perda do emprego é uma das maiores experiências de modificação de vida que alguém pode enfrentar. Seu impacto negativo só é superado pela perda de um ente querido ou pelo rompimento da família”, disse Fred M. Riley, ex-comissário dos Serviços Familiares SUD e terapeuta mental licenciado (entrevista de 21 de janeiro de 2010) .

Muitos profissionais sentem que depois da morte de um filho ou de um divórcio, a perda do emprego é, provavelmente, a ocasião mais terrível da vida.

O que torna a perda do emprego tão traumática é o golpe devastador que isso dá à autoestima. Quando se é demitido, qualquer que seja a razão, a mensagem implícita ou subliminar que se recebe é: “Sou um fracasso. Não sou suficientemente bom. Não importa se há crise econômica, se eu fosse mesmo bom, eles teriam me mantido”. 

Isolamento e Comportamento Contraproducente

A perda repentina do emprego pode levar ao isolamento. Quando uma pessoa passa por um divórcio ou outras experiências dolorosas, tende a compartilhar a dor com aqueles em quem confia. Ela conversa com colegas de trabalho, amigos e familiares. Consequentemente, há sempre alguém para confortá-la e aconselhá-la. De modo inverso, quando a pessoa perde o emprego, a última coisa do mundo que deseja é dizer a alguém o que aconteceu, temendo que os outros possam considerá-la uma fracassada. Ela entra em um “cone de silêncio” e termina por isolar-se justamente das pessoas que estariam mais dispostas a ajudar. Infelizmente, essa tendência de se esconder atrás das barreiras que ela mesma cria e de limitar a interação social é contraproducente na busca de outro emprego. Pode aumentar muito a dificuldade de sua busca. Uma pesquisa aponta que 70 a 80 por cento de todas as vagas de emprego são preenchidas por pessoas que fazem uma rede de contatos. Aproveite cada oportunidade, cada fórum possível, para informar a todos com quem entra em contato que está procurando emprego.

Medidas a Tomar

Abaixo estão algumas sugestões de como superar as emoções e as tendências naturais, mas contraproducentes, que podem inibi-lo de fazer uma busca de emprego eficiente.

  1. Encontrar um Treinador Permitir que outros o ajudem. Identificar um amigo ou colega de trabalho e pedir-lhe que atue como seu treinador ou mentor na busca de emprego. Interagir com essa pessoa pelo menos duas vezes por semana.
  2. Desenvolver um plano de busca com seu treinador e segui-lo.
  3. Preparar uma declaração “Comercial de 30 Segundos” e compartilhá-la com todos aqueles que você encontrar.
  4. Ser proativo. Não ficar sentado em casa esperando por um telefonema que lhe traga o emprego perfeito. Agir para fazer acontecer.
  5. Começar bem o dia. Levantar-se às 7 da manhã, tomar o desjejum com a família, examinar a “lista do que fazer” e segui-la.
  6. Sair de casa. Por mais tentador que seja, não ficar em casa, de pijamas, procurando emprego na Internet até o meio-dia. De acordo com especialistas, somente cerca de 7% dos empregos são encontrados pela Internet. Levantar-se, vestir-se para entrevistas em potencial, dar todos os telefonemas até as 9h e sair de casa por volta de 9h30.
  7. Exercitar-se pelo menos 20 minutos por dia, 5 vezes por semana. O exercício físico é um aliado natural contra a depressão, porque libera endorfina no organismo, o que ajuda a manter uma atitude positiva e aumenta sua energia, ambas necessárias para entrevistas bem-sucedidas. Comer alimentos saudáveis.
  8. Cadastrar-se para receber ajuda do governo, conforme o caso. Após a demissão, cadastrar-se imediatamente para receber seguro-desemprego, fundo de garantia e outros direitos, se achar necessário.
  9. Pensar em sua busca de emprego como se já fosse um emprego. Depois, gastar pelo menos de 30 a 40 horas por semana realizando sua busca. Se não despender o tempo pedido, ficará sem emprego por um bom tempo. Agendar o mínimo de cinco entrevistas ou visitas a empresas por semana.
  10. Sorrir. Rir. Aproveite cada oportunidade para manter seu senso de humor. Ninguém quer ter empregados mal-humorados. Continuar a ter vida social. Sair de casa e encontrar-se com antigos clientes, contatos de sua rede ou outros recursos pelo menos duas vezes por semana. Brincar diariamente com os filhos e com animais de estimação.
  11. Levar em consideração um trabalho temporário ou de meio-período. Refletir sobre aceitar um trabalho de meio-período ou de consultoria em empresas de sua área de atuação. Aqueles que estão empregados são mais empregáveis. Qualquer cargo que ocupe, quer seja um trabalho abaixo de suas qualificações, quer seja um de meio-período na sua área de especialização, gerará um fluxo de caixa imediato e ajudará a aliviar um pouco a pressão enquanto procura outro emprego. 

Comentários

Foi útil?