Ela Provou que Não Estava Velha Demais

No Centro de Autossuficiência SUD (LDS Jobs), vamos ajudá-lo a obter um trabalho remunerado por meio de aprendizado e das redes de contato com empresas locais.

Enquanto alguns achavam que Erna já estava velha demais para começar uma carreira, seu bispo, as Indústrias Deseret e os Serviços de Recursos de Emprego SUD discordavam.

Erna formou-se em Ciência da Computação e pretendia trabalhar nessa área. Mas quando um de seus filhos—a única filha—nasceu sem os rins, seus planos mudaram. Sua carreira de cientista da computação deu lugar imediatamente à de cuidadora, ao longo de 24 anos. Dedicou todo o seu tempo aos cuidados com a saúde da filha.

A filha recebeu um transplante de rins e ficou relativamente saudável por mais de dezessete anos, mas aos poucos seu estado de saúde começou a piorar. Erna, como cuidadora, começou a ficar nervosa, irritada e aborrecida , pois sabia que a filha não viveria mais muito tempo. Quando a filha faleceu, Erna sentiu-se perdida. Nada parecia capaz de diminuir a imensa dor que a consumia. Ela tentou voltar a trabalhar, mas as coisas não correram conforme o planejado.

Em dezembro de 2009, o bispo de Erna conversou com ela sobre suas opções para o futuro. Erna estava com mais de 60 anos de idade e seus conhecimentos tinham ficado adormecidos durante muitos anos. O bispo sugeriu que Erna fosse às Indústrias Deseret (ID) para participar de seu programa de treinamento profissional. Erna aceitou a proposta.

Foi admitida em um programa profissional nas ID, onde teve acesso a cursos e oportunidades que a ajudaram a mudar de perspectiva de vida. Com o auxílio de um mentor, traçou metas para achar trabalho a longo prazo com benefícios e oportunidades de crescimento profissional. Começou a sentir mais confiança em sua capacidade. Em seu treinamento nas ID, aprendeu a lidar com clientes e a gerenciar a carga de trabalho e atualizou seus conhecimentos de informática.

“As ID devolveram minha personalidade, confiança e autoestima, pois ao chegar lá não me sentia muito bem comigo mesma”, confessa Erna. “Mas eles nos elogiam, recompensam-nos, e nos dão atenção”.

No tempo em que passou nas ID, Erna ia ao centro local de empregos quase diariamente para pedir ajuda e ver se havia novos anúncios de emprego. Participou do Curso de Autossuficiência Profissional e os missionários a ajudaram a atualizar seu currículo, acrescentando as novas habilidades. Ajudaram-na ainda a inscrever-se no site LDSJobs.org a fim de receber atualizações sobre novas vagas anunciadas. Eles a mantinham informada sobre companhias que estavam contratando, Erna preenchia formulários de cadastro e era entrevistada por diferentes empresas várias vezes por semana. Ficou impressionada com a ajuda prestada de modo tão generoso pelos missionários, sempre tão atenciosos com ela.

“Todos os dias eu ia para lá literalmente dizendo: ‘Pai Celestial, muito obrigada por minha vida, muitíssimo obrigada’”, conta Erna.

Certo dia, ao entrar no Centro de Recursos de Emprego de Tooele, os missionários falaram-lhe de uma empresa que deixara algumas fichas no centro e voltaria depois para buscá-las. Erna preencheu a ficha com cuidado e aguardou a chegada do representante da empresa. Entregou sua ficha a ele pessoalmente e perguntou: “E quando serão as entrevistas?”

O representante ficou tão impressionado com ela que a chamou para uma entrevista no dia seguinte. Pouco depois, foi convidada para começar um treinamento na empresa, e foi o início de sua ascensão fulgurante. Foi promovida duas vezes num mês e no espaço de dois meses desde a contratação já recebera três prêmios de atendimento aos clientes.

Erna sente-se grata por estar empregada. É ainda mais grata às Indústrias Deseret e aos Serviços de Recursos de Emprego por ajudarem-na não só a conseguir emprego, mas a melhorar sua vida.

“Nossa organização é muito eficaz”, diz Erna. “Alimentamos os famintos como o Pai Celestial deseja, atendemos a necessidades emocionais e físicas e procuramos não decepcionar. Quando uma pessoa está desempregada, não nos contentamos em alimentá-la, mas lhe damos a oportunidade de crescer e ir à luta”.

Comentários

Foi útil?