A História de Trevor: A Prática Leva à Perfeição

No Centro de Autossuficiência SUD (LDS Jobs), vamos ajudá-lo a obter um trabalho remunerado por meio de aprendizado e das redes de contato com empresas locais.

Depois de formar-me, meus planos eram de tornar-me médico assistente (MA). Mas, como essa profissão está no topo da lista das melhores carreiras dos Estados Unidos, os programas de pós-graduação são altamente competitivos e exigem extrema dedicação. Apesar da estrada tortuosa que tinha pela frente, sentia-me atraído por essa carreira devido ao tempo que poderia passar com minha família.

No ano em que me inscrevi, eu era um dos vinte mil candidatos, a maior quantidade já registrada. Dentre esses vinte mil, a maioria era bem qualificada e possuía muita experiência em atendimento médico. Disseram-me na inscrição o quanto era difícil entrar na primeira convocação; e mesmo que conseguisse uma entrevista, ainda teria de enfrentar a parte mais difícil do processo. Apesar desses obstáculos, prossegui com minha inscrição e enviei-a para as escolas que desejava frequentar. A espera foi terrível. Lembro-me de pressionar constantemente a tecla de atualização em minha caixa de mensagens esperando uma resposta.

Finalmente, recebi o convite para uma entrevista. Fiquei empolgado e nervoso ao mesmo tempo. Apenas com uma leve ideia de como me preparar, fiz o melhor que pude, fui para a entrevista e tudo foi bem. Embora tenha respondido a todas as perguntas e sentido tranquilidade, uma semana depois ligaram-me da escola informando que eu tinha sido recusado. Foi muito difícil ouvir a recusa, pois não tinha ideia de que outra maneira poderia ter-me preparado.

Agora com várias outras entrevistas agendadas, percebi que tinha de me preparar de outra maneira. Felizmente, um amigo próximo me falou que a Igreja tem recursos para ajudar pessoas na minha situação. Fiz uma pesquisa e descobri o telefone de um Centro de Autossuficiência SUD em minha região. Sem ter muita certeza do que devia esperar, liguei para eles e expliquei minha situação; fui convidado a comparecer no centro de recursos de emprego para uma entrevista preparatória.

Na semana seguinte, participei de entrevistas simuladas. Meu consultor de empregos apertou minha mão, ligou uma filmadora e ambos nos sentamos. A entrevista foi profissional e parecia muito real. Depois da entrevista, meu consultor e eu a assistimos juntos. Conversamos sobre as coisas corretas que fiz, as coisas erradas que fiz e as coisas que devia ter feito mas não fiz. Deu-me dicas e garantiu-me que tudo iria dar certo.

Lembro-me de quando assisti à minha primeira entrevista simulada. Fiquei constrangido ao ver como havia coisas que precisava melhorar. O segredo da entrevista está em fazer-se notar e destacar-se dos demais candidatos. Percebi que, mesmo respondendo a todas as perguntas perfeitamente, eu parecia monótono! E era exatamente assim que as escolas me veriam se eu não mudasse de alguma forma.

O que aprendi de mais importante com os conselhos que recebi no centro de autossuficiência foi estar efetivamente presente na entrevista. Isso significa que não basta somente dar as respostas corretas, mas principalmente a maneira como dá-las. E foi exatamente nisso que falhei na primeira entrevista. Respondi às perguntas perfeitamente, e foi só isso. Eu precisava de mais emoção!

Meu consultor me disse para empolgar-me ao responder às perguntas e deixar transparecer isso. Tudo o que eu precisava fazer era sorrir, rir e trazer os entrevistadores para minhas experiências.

Coloquei em prática o que aprendi e fiz entrevistas incríveis nas outras escolas. Fui aceito em quatro programas de Médicos Assistentes, mas não teria feito sem a ajuda do Centro de Autossuficiência SUD.

Comentários

Foi útil?